04 outubro 2007

Incarnar ou encarnar?


Eu bem tento ler um livro pelo seu conteúdo, deixar-me absorver pela informação que estou a retirar da leitura. Mas, a cada passo, vejo-me obrigada a parar e a questionar-me sobre o uso da língua que o autor ou o tradutor faz. Por mais interessante que seja o assunto (e é!), não consigo evitar distrair-me com o português! É o mal da minha profissão...

Desta vez, fiquei perplexa com o facto de, na mesma página do livro que citei no desafio de ontem, aparecerem duas variantes da mesma palavra:


Muhammad Yunus incarna antes de mais o ideal híbrido [...].


Estes alter-empresários [...] não se manifestam para reclamar a mudança, encarnam-na e provocam-na.


Como se não bastasse, na página seguinte ainda li:


Então incarnemos o desenvolvimento sustentável nos exemplos de sucesso [...].


...e achei que deveria ter a humildade de ir verificar se o verbo “incarnar” não existiria mesmo, ao contrário do que eu pensava. O resultado na Mordebe foi “palavra não encontrada”. Porém, e depois de a Infopédia me ter aconselhado a verificar a ortografia da palavra incarnar, que também não constava da base de dados, pasmei quando abri o dicionário on-line da Texto Editora, que apresentava incarnar como variante de encarnar (na verdade, o verbo em latim começava com i).

Agora ficam-me duas perguntas: por que razão aqueles dicionários não apresentam a mesma informação em relação a este item? E por que motivo o tradutor do texto resolveu usar alternadamente uma e outra grafia?

E depois admiram-se que eu só leia uma página do livro por dia!!



13 comentários:

Anónimo disse...

Gostaria de saber se, na vossa opinião, a seguinte frase está correcta e porquê:"os lucros mais do que quadriplicaram em 2006".

Muito obrigada.

Rebeca Fastio

S. Leite disse...

Bem, logo à partida, "quadriplicar" está incorrecto, pois escreve-se "quadruplicar". Depois, a construção "os lucros mais do que..." parece uma tradução literal do inglês e soa mal na nossa língua, embora se trate de uma frase bem provável de ser ouvida nos nossos meios de comunicação social.

Joana disse...

Eu se visse a palavra "incarnar" diria logo que estava errada "sem sombra de dúvida". Afinal o melhor é nunca ter certezas de nada, o português está sempre a surpreender-nos :p
Bjs

deprofundis disse...

Pois os da Mordebe e da Infopedia deviam ficar as caras encarnadas de vergonha

Jaime disse...

"Encarnado" (adjectivo) significa "vermelho". (Acho que isto não adianta nada, mas lembrei-me...)

h correia disse...

Encarnar e incarnar são duas variantes da mesma palavra, com o mesmo significado.

Em caso de dúvida, é preferível consultar um BOM dicionário. Na internet existe o http://www.priberam.pt/dlpo/dlpo.aspx

S. Leite disse...

Pois, são variantes. Mas é ou não é estranho que em poucas páginas de um livro se alternem uma e outra?

S. Leite disse...

O dicionário "on-line" da Texto Editora que refiro no texto é o mesmo que dá pelo nome de Priberam. Também acho que é bom, mas é no mínimo desconcertante que outros dicionários igualmente bons não tenham a mesma informação.

Anónimo disse...

Vi também num livro que estou a ler agora a palavra "incarnar".
Achei esta palavra curiosa,porque não só não me soa bem,como nunca a tinha visto escrita desta forma.
Fiquei intrigada se estaria bem escrita e esperei que a palavra voltasse a aparecer,pois o autor e/ou o tradutor podiam ter-se enganado,mas constatei que a palavra aparece ao longo do livro escrita sempre desta maneira.Pesquisei num dicionário e não existia a palavra "incarnar",mas apenas "encarnar" e decidi,por isso,ver se encontrava algo mais concreto,até que encontrei este site.

S. Leite disse...

E agora que nos encontrou, espero que nos visite mais vezes! Bem-vindo o obrigada pelo comentário :)

Marco T. C. disse...

A Grande Enciclopédia Portuguesa Brasileira aceita o termo incarnar e remete o seu significado para encarnar. Ambas estão correctas sendo que encarnar é a corruptela popular de incarnar que está próxima da sua raíz latina.

Anónimo disse...

Eu diria que alternar um modo de escrita num texto, se não for recurso de estilo (como no caso de dois personagens falando, por exemplo), é falta de cuidado.
Quanto ao fato de alguns dicionários trazerem, e outros não, uma corruptela, é normal. Uma palavra escrita erradamente não é admitida num dicionário, que serve justamente para consulta à norma culta da língua. Mas a língua é viva, e muda. Algumas vezes o erro torna-se uso comum e passa a ser considerado forma correta. Em que momento, porém, isso se dá? Alguns dicionários são mais conservadores, outros, como o Aurélio, são reconhecidamente mais inovadores.
Quadriplicar efetivamente não existe... Mas, se um valor aumentou, digamos, 4,27 vezes, será que eu, não querendo ser exata em demasia, não poderia dizer que "o valor mais do que quadruplicou"? teria que dizer que ele "foi aumentado em mais de 4 vezes"?
Denise Brito

Anónimo disse...

A ESCRITA "FACTO" COM "C" É ARCAICA , JÁ NÃO ESTÁ EM USO DESDE O PERÍODO SIMPLIFICADO DE NOSSA ESCRITA ALFABÉTICA. E OS CONCEITOS DE ORTOGRAFIA E NORMA CULTA NÃO SE EQUIVALEM, NÃO SÃO A MESMA COISA, ENTÃO CONSULTAR ORTOGRAFIA DE UMA PALAVRA NÃO É A MESMA COISA QUE PROCURAR A ESCRITA CORRETA DE UMA PALAVRA NÃO SIGNIFICA QUE ESTA PALAVRA PERTENCE À CHAMA DA NORMA CULTA DE NOSSA LÍNGUA, NÃO É ASSIM QUE FUNCIONA.