10 outubro 2007

“Empregue” e “encarregue”


Embora andem na boca de muita gente, os particípios “empregue” e “encarregue”, dos verbos empregar e encarregar, não constam dos actuais dicionários e bases de dados de português. Não é, portanto, correcto, dizer-se “isso é dinheiro mal empregue” ou “ela está encarregue da revisão do texto”.
Se têm dúvidas, experimentem consultar a Mordebe, os dicionários Priberam ou Porto Editora, por exemplo, ou outros dicionários impressos recentes.
Tanto quanto sei, apenas o Vocabulário de Rebelo Gonçalves atesta a existência dessas duas formas participiais. E qual é o problema desse Vocabulário, que é uma das grandes obras de referência, por exemplo, do Ciberdúvidas? É que a obra data de 1967, quase ninguém a conhece e não está disponível no mercado. Não se pode, pois, encarar este vocabulário, por mais bem conseguido que esteja, por mais útil que seja, como regra para os nossos dias.
Paradoxalmente, porém, e apesar de nenhum dos actuais instrumentos de consulta que verifiquei apresentar os particípios "empregue" e "encarregue" no quadro dos respectivos verbos conjugados, é inegável que, se tantos falantes os utilizam, o tal Vocabulário é, no que respeita a esses itens, mais fiel ao uso actual do que as modernas bases de dados!
Conclui-se, portanto, que há qualquer coisa que não está bem...

7 comentários :

deprofundis disse...

"Conclui-se, portanto, que há qualquer coisa que não está bem..."

E eu diria mesmo mais: e o diabo que a "encarregue".

Filipa disse...

Então como devemos dizer? "O dinheiro foi mal aplicado" (em substituição de empregue)? e em vez de "estar encarregue de..." dizermos "estar responsável por..."? Por acaso deparo-me com esta segunda expressão quase diariamente. Fica a dúvida...

Bjs Filipa

S. Leite disse...

Filipa,

não há nada de errado (pelo contrário) em dizer "o dinheiro foi mal empregado" e "elá está encarregada de fazer a revisão"!

Jorge disse...

Com todo o respeito por opinião contrária, penso que podemos considerar os termos “encarregue”, “empregue” (e outros formados do mesmo modo) como particípios passados irregulares – em contraposição aos seus correlativos regulares (neste caso concreto, “encarregado” e “empregado”). Nesta linha de pensamento, penso que (e não penso de que) se poderá aceitar como correcto o uso dos “ditos cujos” (“empregue” e “aceite”) desde que flexionados com os auxiliares de definição indefinida (ser, estar…), reservando “empregado” e “aceitado” para os verbos “ter” e “haver”. Quanto a mim, pior que o uso destes termos é a expressão brasileira “pego” por “pegado” que alguns linguistas e gramáticos portugueses consideram correctíssima. “Mi disculpem”, mas “pego” para mim só como marido da “pega”…

carolina disse...

Caro(a) S. Leite,

Certamente não procurou muito, senão não precisaria de remontar ao Vocabulário de Rebelo Gonçalves para encontrar os dois termos por si referidos dicionarizados.
Nos mais recentes e melhores dicionários da Língua portuguesa, "empregue" e "encarregue" constam como unidades lexicais. Refiro-me, naturalmente, ao dicionário Houaiss e ao dicionário Aurélio.

EMPREGAR:
a) dic. Houaiss

Empregue:
adjetivo
m.q. empregado ('que se empregou', 'aplicado')

também na conjugação de verbos, disponível no mesmo dicionário em formato electrónico:
(empregar)
particípio:
empregado
empregue

b)Dicionário Aurélio:

empregue
[Part. irreg. de empregar.]
Adjetivo de dois gêneros.
1.Lus. Empregado (1 e 2).


ENCARREGAR:

a) Dic. Aurélio
encarregue
[Part. de encarregar.]
Adjetivo de dois gêneros.
1.Lus. Encarregado (1).

b)Dic. Houaiss
encarregue

adjetivo
Regionalismo: Portugal.
diz-se daquele que está incumbido de um cargo, tarefa ou negócio; encarregado
part. de encarregar; f. pref. em Portugal, cf. encarregado; ver carr-

S. Leite disse...

Os dicionários que cita são brasileiros e infelizmente não tenho acesso a eles. Mas o Aurélio refere que a forma preferida em Portugal é ENCARREGADO. Reparou?

Cristóvão de Aguiar disse...

Encarregue e empregue não são particípios passados, mas o presente do conjuntivo dos dois verbos:

Exemplos: Para que se empregue bem este vocábulo, talvez fosse conveniente consultar um dicionário de sinónimos.
Nunca: para que esta palavra seja bem empregue...
Quanto ao outro verbo, acontece o mesmo.
Há uma grande confusão entre os verbos com dois particípios passados: Matar (morto e matado); entregar (entregado e entregue). Mas esses duplos particípios não se empregam ao "calhas": Com o verbo ser, estar, ficar, emprega-se o irregular:O homem foi morto em sua própria casa; o caçador tem matado muita caça;a carta foi-me entregue pelo carteiro; o cateiro tem-me entregado cartas quase todos os dias...
Acender (aceso e acendido): a lareira está acesa; têm acendido a lareira todas noites devido ao frio...
Os verbos empregar, encarregar e carregar só têm um particípio passado - o regular.

Quando ouço:o meu filho está empregue num escritório, dá-me vontade de responder: pois, claro; vai para o diabo que te carregue...