30 maio 2007

SE com hífen ou sem?

Por sugestão de uma leitora, voltamos a mencionar uma dúvida frequente, que é a do emprego (ou não) do hífen em certas formas verbais.

Já havíamos abordado a questão no texto intitulado “Lavaste e Lavas-te”, mas nem sempre a hesitação de quem escreve se prende com a terminação TE, pelo que agora nos referimos às formas terminadas em SE, que também causam confusão.

Assim, vejamos: existem várias diferenças entre telefona-se e telefonasse.

Quando escrevemos telefona-se, estamos a associar a forma verbal (que está no tempo Presente do Indicativo) ao pronome SE, que neste caso representa a indefinição do sujeito (alguém telefona, não interessa quem). Nesta situação, o pronome muda de lugar quando formulamos a frase na negativa (“Não SE telefona a ninguém a estas horas!”) e isso indica que devemos separá-lo do verbo por meio de hífen.

Se escrevermos telefonasse, o tempo é o Pretérito Imperfeito do Conjuntivo e o verbo está na primeira ou terceira pessoa do singular. Aqui, a terminação em -se não pode ser separada por meio de hífen porque faz parte do verbo, não se trata de um pronome. Prova disso é o facto de não mudar de lugar quando a frase está na negativa: “Ela pediu-me que não lhe telefonasSE para o emprego” (e não “ela pediu-me que não lhe SE telefona para o emprego”, o que seria absurdo).

Espero, com este texto, ter esclarecido a dúvida da leitora que nos enviou a sugestão, bem como a de muitos outros leitores! E que continuem a escrever-nos :)

3 comentários :

Dulce disse...

Erros semelhantes a esse ocorrem cada vez mais nos dia de hoje mesmo aqui na blogosfera e em pessoas que escrevem muito bem. Distracção (?) ou conceitos mal assimilados?

Mafalda (2ºano) disse...

Isto já nao tenho duvidas. Venho aqui só agradecer o ano fantástico...devido às maravilhosas professoras aprendi imensa coisa e já vou mesmo à luta quando as pessoas dizem que estou a errar, AÍ DE QUEM DIGA tinha morto, QUE EU VOU-ME A ELE!

S. Leite disse...

Pois, Dulce... eu acho que o problema maior é a falta de leituras de qualidade. Mas trata-se apenas da minha humilde opinião, claro :)
Hehehe! Boa, Mafalda, assim é que é!!