23 maio 2007

O Passado que nem sempre o é

Quem não usou já o verbo passar no Particípio Passado (precisamente: passado), como se fosse invariável?

Eu já me apanhei a mim própria a dizer “passado meia hora...”, confesso. No entanto, sei muito bem que se trata de um erro – daqueles que nos saem pela boca antes mesmo de podermos pensar no que estamos a dizer!

Mas é verdade, o Particípio Passado (nas orações participiais) deve sempre concordar com respectivo sujeito, quer esteja antes ou depois deste, ou seja, deve estar no masculino ou no feminino, no singular ou no plural, conforme o caso. Assim, diga-se (e escreva-se) “passadas duas horas” e não “passado duas horas”. Dá mais trabalho, leva mais tempo, mas fica melhor!


4 comentários :

deprofundis disse...

E se forem passadas três horas, ainda leva mais tempo! E quatro horas, nem se fala.

Alecrim disse...

lol.
E uma hora de tempo, deprofundis, é muito tempo de tempo!

deprofundis disse...

Pois é, Dulce/Alecrim. Cá na "eilha" é preciso especificar que as horas são de tempo. Mas ainda não vi horas de espaço ou de outra coisa qualquer.
Penso que se trata da tradução inglesa (P.E. "two hours time").

S. Leite disse...

Faz-me lembrar a "pessoa humana"... mas essa não é tão redundante quanto possa parecer à primeira vista.