21 novembro 2007

Post, postar, poster...

Quem, como nós, é participante activo na blogosfera, já se ouviu certamente dizer que vai “postar um post”. Depois, talvez se tenha sentido um pouco envergonhado, ridículo, ou mesmo ligeiramente traidor – conforme o amor que tenha à sua própria língua.

É inegável que vivemos numa era de importação desenfreada de palavras estrangeiras para o português, sobretudo vocábulos relacionados com as novas tecnologias (mas não só), e principalmente vindos da língua inglesa. É completamente impossível manter uma conversa sobre informática ou sobre o mundo virtual criado pela Internet sem dizer palavras que põem os avós a pensar que os netos já não falam a mesma língua do que eles, como software, e-mail, browser, save, blog, e por aí fora.

Os poucos que se esforçam por traduzir os conceitos, dizendo, por exemplo, “senha” em vez de password, “transferência” em vez de download, ou “caneta” em vez de pen, correm o risco de não serem entendidos, de ficarem de fora ou para trás. Porque a linguagem que se gerou é como um rio poderoso, que arrasta tudo e todos na sua frente.

No entanto, há termos ingleses que provêm do latim e que, apesar de parecerem, não são verdadeiros estrangeirismos. A palavra post, por exemplo, usada por quase toda a gente que tem ou lê blogues, é de origem latina. E desde, pelo menos, o século XIV que se usa o verbo postar em português (de posto, segundo o Dicionário Etimológico da Língua Portuguesa de José Pedro Machado) – obviamente, não com o sentido de “publicar algo num blogue”, mas com um sentido muito próximo, apenas mais abrangente: “pôr, colocar”. Por isso, um poster (post + er), em inglês, designa um cartaz que é afixado, isto é, postado. Ou seja, o sufixo é deles, mas a raiz é nossa!

Portanto, se é ridículo pronunciar “paust” à inglesa, já não pode ser acusado de barbarismo aquele que disser postar, à portuguesa, em vez de “pôr on-line”. Da próxima vez que vos sair esse verbo supostamente moderno, não se retraiam. É do mais vernáculo que há!

5 comentários :

Jaime disse...

Muito engraçada a origem do postar. Ia jurar que isso era inglês genuíno!

Já agora, em assunto só parcialmente relacionado, ocorreu-me que as siglas em informática quase nunca são traduzidas:

- HTTP (HyperText Transfer Protocol);
- WWW (World Wide Web);
- CPU (Central Processing Unit);
- USB (Universal Serial Bus).

Noutras ciências às vezes são traduzidas:

- VIH (Vírus da Imunodeficiência Humana) traduz HIV (Human Immunodeficiency Virus);
- ADN (Ácido DesoxirriboNucleico) traduz DNA (DeoxyriboNucleic Acid);
- AVC (Acidente Vascular Cerebral) traduz CVA (CerebroVascular Accident).

S. Leite disse...

Jaime, se continuas assim, tenho de convidar-te para seres co-autor do blogue :P

Ennio Sousa disse...

Muito bom o artigo.
só falta um botão para +1.

daniloogato007 disse...

O correto é falar post, ou poster? No caso de postagens na internet? Post antes de postar, e Poster depois de postado?

S. Leite disse...

daniloogato007, o nome "post" está atestado no Dicionário da Língua Portuguesa da Infopédia com o significado "mensagem que se publica numa página de Internet" (http://www.infopedia.pt/dicionarios/lingua-portuguesa/post). Não me parece que haja diferença entre "antes e depois" de publicar, como sugere. Poster (ou póster) designa antes um cartaz, que em princípio será de papel (geralmente impresso).