14 julho 2008

O bom do bem

Já repararam como bem é uma palavra aparentemente tão simples, mas tão rica de significados?

O advérbio bem tem o sentido de bastante, por exemplo na frase: «Hoje o bebé comeu bem». Também pode significar convenientemente: «Achas que vou bem com este fato?» E, se dissermos, «Estive doente, mas agora já estou bem», o sentido de bem já é mais próximo de em boas condições. E por aí fora...

Porém, a palavra bem pode ainda ser um substantivo, designando uma acção ou comportamento bom, solidário: quando se fala de «fazer o bem». Se distinguirmos entre o bem e o mal, estamos perante conceitos muito amplos, em que bem designa tudo o que é bom, positivo, agradável, justo, recto, conforme a moral. E um bem ainda pode ser material, algo que normalmente se usa no plural e que corresponde à propriedade de alguém: os seus bens. E no Brasil, «meu bem» é expressão que se usa para falar com alguém querido, o mesmo que «meu amor».

Mas há mais! Bem pode ainda ser um interjeição e é aí que os seus sentidos são mais difíceis de definir, variando conforme a entoação que lhe damos. Em tom crescente, mas com hesitação, é uma daquelas “muletas” que nos apoiam enquanto escolhemos as palavras que diremos depois: «O que é que eu vou fazer nas férias? Bem... (ou seja, aaah)... passear, ler, descansar!»

Com entusiasmo, enquanto aplaudimos, «Bem!» pode ser o mesmo que «Bravo!». Se, no entanto, dissermos «Beeeeeem!» com uma cara espantada, exprime admiração, sobretudo entre pessoas jovens, talvez de zonas urbanas de Portugal. Por exemplo neste contexto: Fizeste esse desenho sem copiar? Beeeeem! Tens muito jeito!»

E também há o «Bem!» que significa que estamos zangados... o mesmo que «Mau!», curiosa e paradoxalmente. Imaginem a irmã mais velha para o mano impertinente, que ameaça rasgar-lhe um caderno: «Bem! Se voltas a fazer isso vou dizer à mãe!»

Finalmente, há quem diga «Bem!» com um ar sério, a meio do discurso, para suspender a narração de um facto impressionante. Trata-se de uma exclamação propositadamente ambígua, julgo eu, que visa prender os ouvintes, que não sabem se o que se vai dizer a seguir é bom ou mau: «Ontem fui àquele restaurante novo que tem feito tanto sucesso. Bem!...» (Como quem diz «Oiçam!») E o que se segue tanto pode ser «...que maravilha!!» como «...que desilusão!».

Incrível, não é?

8 comentários :

Jorge da Luz disse...

Parece-me bem!!! ;)

tomazini disse...

parece-me que o Dum-Dum matou BEM a melga!

anti-melgas disse...

BEM! Que rico Dum-Dum!!!

Brincalhona disse...

E os meninos bem?!
São aqueles que não fazem nada de bom às meninas más?
Ora diga lá senhora professora!!!!

Anónimo disse...

S. Leite disse...

De facto, ao escrever o artigo lembrei-me dos "meninos bem" e depois acabei por me esquecer de incluir no texto mais esse interessantíssimo significado da palavra "bem", que nesse caso se torna um adjectivo invariável. Designa um tipo social que fala com um sotaque (lisboeta) particular, supostamente tem ascendência nobre e um modo de viver único, mas difícil de resumir aqui.

Aos comentadores que começaram a exagerar no tom brejeiro e despropositado dos seus comentários, informo que os apaguei. Desculpem, mas foram longe de mais!

Brincalhona disse...

Está desculpada...
Mas apagou quem? Os comentadores ou os comentários?
Esta está boa ou está bem?

Anónimo disse...

oh brincalhona deves ser tão brejeira e feia. ta na cara