16 junho 2008

Mania ou fobia?


Mania e fobia são perturbações que implicam comportamentos opostos. A mania implica o costume obsessivo de fazer alguma coisa; a fobia o medo, o pavor de alguma coisa. Decerto que a diferença é óbvia para muitos leitores, mas, curiosamente, tenho-me apercebido de que há quem confunda estas duas tendências.

Quando ouço alguém dizer que «tem a fobia das arrumações!», percebo, pelo contexto, que a palavra fobia foi empregada, erradamente, com o sentido de mania.

E dá-me a sensação de que subjaz a esta confusão a necessidade de encontrar um termo que seja ainda mais expressivo do que o corriqueiro mania. Ou seja, as pessoas sabem o que a palavra mania significa, mas querem usar uma outra, que realce ainda mais a ideia. E então lembram-se de dizer fobia, que no entanto significa o oposto!

Parece-me que se trata de mais uma divertida contradição, a juntar ao desinquieto, ao despoletar e ao destrocar...

7 comentários :

Alda disse...

Essa do destrocar causa-me arrepios...brrr. E "desabrandar", nunca ouviu?

Jorge da Luz disse...

Bem, parece-me que não tenho qualquer problema neste aspecto. Sei distinguir estes "opostos", mas confesso que nunca tinha ouvido ninguém trocar estas palavras.
O que oiço, todos os dias, é a dizerem palavra "destrocar" em vez de "trocar", que é o que está certo.
"Senhor Joaquim, destroque-me aqui esta nota." :) heheheheh

S. Leite disse...

Mas acreditam que o dicionário da Porto Editora já contempla "destrocar" com o mesmo sentido de trocar? E "desinquieto" também, se não me engano... é a prova de que, se a corrente for forte, não há como contrariar a maré!

Jorge da Luz disse...

Assim se dá a evolução de uma língua. Quando um "erro" começa a ser dito por todos, torna-se norma. Aí não há nada a fazer.

Maria Feitas disse...

Tem piada, que no outro dia ouvia alguém que me é próximo, mas que não me permite correcções, nem conversas acerca da língua, e que chamava a uma criança desinquieta. Eu nunca tinha ouvido tal palavra, é verdade, e achei logo uma contradição, ora uma criança desinquieta acaba por ser uma criança quieta, porque é a negação da negação. Mas a verdade é que no dicionário a palavra existe com um [pop] e significando o mesmo que inquieto.
Ainda bem que fiquei calada.

S. Leite disse...

Pois, mas o «pop» indica que se trata de linguagem popular... ou seja, pouco indicada em contextos ditos eruditos!

Maria Feitas disse...

Sim, [pop] significa popular, eu sei disso. O que eu quis dizer, foi o mesmo que a s. leite tinha dito uns comentários antes. Mas como eu leio o blog por rss e vejo os comentários que já estão escritos. Já está contemplada nos dicionários.