04 fevereiro 2008

Avançar para trás?

Há dias, na televisão, um jornalista referia-se a pessoas que «não conseguiam avançar nem para a frente, nem para trás.»
Eu nem sequer ouvi, mas uma amiga perguntou-me se não estaria ali um erro grosseiro. Então pode-se avançar para trás?!
De facto, consultando o dicionário, vemos que a primeira acepção do verbo avançar é precisamente "ir para diante, mover ou fazer mover para a frente". Haverá, assim, uma inequívoca contradição na ideia de "avançar para trás".
Porém, como para a maior parte das palavras, o dicionário não apresenta apenas uma acepção para este verbo. Avançar também pode ser prosseguir, estender-se, alongar-se, penetrar, embrenhar-se, aventar, decorrer e muitas mais.

Nesse caso, o jornalista falou bem... ou nem por isso?

4 comentários :

Tânia disse...

Avançar... pois, não sei. Nesse contexto talvez arriscasse estar correcto. Será?

S. Leite disse...

Olá, Tânia!
Apesar de avançar poder ser sinónimo de outros verbos, como estender-se, penetrar, embrenhar-se, etc., a verdade é que também nesses verbos está patente a ideia de "movimento para a frente" por exemplo, uma pessoa que se embrenha numa floresta não está de certeza a andar para trás dentro dela, nem a caminhar em direcção à saída). Assim, não é muito correcto dizer "avançar para trás", tratando-se de um paradoxo a evitar.

Tânia disse...

Olá :)
Pois, entendo. É tão disparatado, se calhar, como dizer "subir para cima" ou "descer para baixo", tratando-se, neste caso, de uma redundância.

João disse...

Acabo de descobrir este interessante sítio na Internet mas nem sei como se chama. Vejo que se dedica essencialmente aos jovens, e que foi criado por uma senhora, S. Leite. Não sou um jovem, mas já que aqui estou, gostava de deixar o meu comentário sobre a questão em apreço: "avançar para trás" é um paradoxo, mas "avançar para a frente" é uma redundância. Portanto o jornalista em questão devia ter dito "sem avançar nem recuar", ou então "sem ir(em) para a frente nem para trás".

Aproveitava para dizer que algumas lições de português na televisão contêm erros... de português!, o que é mais grave do que a mera utilização de uma ou outra expressão errada por um jornalista. Mas nem sequer há tempo para reagir...