19 Janeiro 2009

Cozer ou coser?



Parece mentira, mas acontece. Trocar coser por cozer é uma confusão "clássica" e tão previsível que já quase ninguém se preocupa com ela... e no entanto, eis um livro infantil que deveria ter tido uma revisão mais atenta!

4 comentários:

Nuno Silva disse...

Cá estou de novo com as minhas dúvidas, para cujo esclarecimento peço ajuda:

Qual a pronúncia correcta de «acordos» [acôrdos] ou [acórdos]?

Quando usamos o «vocês», qual a forma correcta nestas duas frases?
«Há muito que não VOS via» ou «há muito que não OS via».
«Isto é coisa que VOS pertence» ou «Isto é coisas que LHES pertence»

Os meus agradecimentos antecipados

S. Leite disse...

Deve dizer-se "acôrdos", como donos.

Quanto a "vocês", se esta forma de tratamento implica o uso dos verbos na terceira pessoa do plural, não na segunda ("vocês fazem" e não "vocês fazeis"), não faz muito sentido usar o pronome "vos", que se refere a VÓS (segunda pessoa do plural). É mais correcto usar "os" (que se refere a ELES, terceira pessoa do plural). Assim, também devemos optar por "isto é coisa que lhes pertence", quando nos referimos a "vocês".
No entanto, tem-se generalizado o uso de "vos", porvavelmente por causa da sua semelhança fonética com "vo(cê)s" e também porque "lhes", sendo usado para nos referirmos a pessoas que podem não estar na nossa presença (eles), parece menos adequado para nos dirigirmos a quem está à nossa frente (vocês).
Espero ter sido clara!

Nuno Silva disse...

Obrigado pela resposta que confirma a minha opção pessoal, baseada em idêntico raciocínio. No entanto, a forma como a apresentou suscitou-me, no mínimo, uma hesitação que me força a incomodá-la de novo e de que me penitencio antecipadamente. O uso do «VOS» (em referência a «VOCÊS») também se pode considerar correcto? Ou apenas tolerável? O meu receio é que, a breve trecho, a forma correcta («LHES») passe a ser tida como erro. Já agora, uma sugestão: que tal abordar esta questão em artigo mais aprofundado, em que poderá também esclarecer a (in)correcção do «parabéns a você». Penso que este problema se irá agudizar com a «invasão» brasileira e o uso que eles fazem do você, como «você empresta-me o teu carro», «eu vi ele» e «dei para ele».
Os meus agradecimentos e renovadas desculpas pela extensão da minha nota.

S. Leite disse...

Ui, Nuno... não sei se tenho estofo para tanto!! Na verdade, concordo consigo em tudo. O "você" é uma pedra no sapato de todos nós!...