08 setembro 2011

Isto promete...

A minha filha estava a resolver uma ficha de exercícios de língua portuguesa, do 2.º ano do 1.º ciclo do ensino básico. A certa altura, pedia-se-lhe que conjugasse o verbo comer nos tempos certos:

A cabra amanhã _________ muita erva.

Ela ia transcrever, simplesmente, o verbo comer, tal e qual, no infinitivo. Mas depois percebeu que a frase não faria sentido. Eu chamei a sua atenção para o facto de ter de conjugar o verbo no tempo futuro. E ela, baralhada: «comera? Mas "amanhã a cabra comera" não faz sentido!» Eu corrigi: «comerá. O futuro é comerá
Resposta dela: «Mas eu não falo chinês! Nem como os reis falam...»

4 comentários :

FireHead disse...

Eu acho que não é "comerá" mas sim "fumará". :P

S. Leite disse...

ah ah ah! Muito bom... assim ainda promete mais :))

Tânia G. disse...

Olá prof. S. :)

Quando começei a ler, pensei que fosse sair um "vai comer". Não sei a que tempo verbal equivale, só me lembro do "futur proche". Pesquisei, mas não encontro. Existe "futuro próximo" em português?

S. Leite disse...

Bons olhos a leiam, Tânia :)
"Vai comer" seria expectável... é a chamada conjugação perifrástica, muito em voga hoje em dia. Na minha opinião, o facto de os falantes preterirem o futuro simples (comerá) na oralidade prende-se com a dificuldade que depois apresenta a conjugação pronominal, porque os pronomes têm de ser inseridos no meio do verbo (comê-la-á, dar-vo-los-ei, encontrar-nos-emos, etc.!)