26 março 2010

"Crianças abusadas" ou "vítimas de abuso"?

“Crianças abusadas” é uma expressão incorrecta do ponto de vista sintáctico. E porquê?
Abusado é o particípio passado de um verbo que rege a preposição de (por exemplo: «não abuses da minha paciência!»). O verbo abusar não tem, pois, complemento directo, pelo que não pode ser conjugado na voz passiva.
Tal como não é sintacticamente correcto dizer “ele abusou a criança”, também não é possível transformar essa estrutura activa numa passiva: “a criança foi abusada por ele”.
Assim, para se exprimir a ideia de «maltratar sexualmente, violar», devem utilizar-se expressões como «crianças que sofreram abusos» ou «crianças vítimas de abuso».

3 comentários :

Anónimo disse...

"E porquê?" Hummm... Não seria "E por quê?"? João B. L. Ghizoni

S. Leite disse...

Para nós, é "porquê". Mas temos noção de que se trata de um aspecto controverso, até mesmo em Portugal. A propósito, somos portuguesas e é sobre a variante lusa da língua que escrevemos, daí o nome do blogue: "Língua à Portuguesa" (ou seja, à maneira portuguesa). Temos muito gosto em receber visitas e comentários vindos do Brasil, mas não sabemos o suficiente sobre a variante brasileira para podermos "opinar" e dar informações sobre ela.
Cumprimentos e volte sempre!

Ticiane disse...

A espressão "crianças abusadas" é tão incorreta que gera ambiguidade.. Não se tem clareza de as crianças sofrerem abuso e o 'de abuso' é complemento nominal ou de as crianças serem intrometidas e enxeridas sendo, portando nesse ultimo caso, 'abusadas' adjetivo.