11 novembro 2011

premissas ou permissas?

Hoje venho fazer uma confissão: na aula passada, escrevi no quadro, sem pensar, "permissa".
Não tem desculpa nem perdão: se não temos a certeza de como se escreve, não devemos escrever. Muito menos num quadro de sala de aula, para todos os alunos verem e repetirem o erro, nos seus cadernos. Acreditem que me senti muito mal quando, horas mais tarde, houve uma luzinha de alarme que, muito atrasada, se ligou na minha mente. «Olha lá, não deverias ter escrito premissa?», perguntou-me um grilo falante que, na hora H, estava decerto, e infelizmente, a dormir.
O sobressalto foi atordoador. Senti uma náusea quase física. O mal estava feito. Raiva!
Desculpem o erro. E o desabafo. Todos.

3 comentários :

João Pinto disse...

Boa noite,

Tenho acompanhado o vosso trabalho. Agradeço os ensinamentos e espero que continuem a ensinar-me. Agora, com este post, a minha admiração por vocês aumentou: admiro a humildade e a sinceridade. Partilhá-la é excelente. Todas as pessoas erram. “Estúpido não é aquele que erra, é aquele que não admite o erro”.
Parabéns.

Odinilson Lima disse...

Imagino como deve ter sido. Com certeza isso chato, entretanto, devemos estar sempre cientes de que o professor não é um deus. Claro, queremos sempre melhorar, mas há momentos em que "pisamos na bola" mesmo xD

Ps: Se fosse uma digitação, tu teria(s) a "desculpa" de ter digitado rápido demais :P

Luís Alves de Fraga disse...

Linda e digna esta confissão! Quase se esquece o erro tal é a humildade colocada no reconhecimento do mesmo.
Parabéns.