15 agosto 2007

Mais pequeno?!

Se há uma regra gramatical que nós, Portugueses, aprendemos desde cedo, é a da flexão irregular de certos adjectivos em grau. Todos sabemos que bom e mau, grande e pequeno, no grau comparativo e também no superlativo relativo, se transformam em melhor, pior, maior e... menor. E aprendemos tão bem a lição que, em adultos, não hesitamos em corrigir as crianças que caem na “asneira” de dizer “mais bom” ou “mais grande”.

Curioso é, porém, que haja entre os casos desta regra uma excepção que é paradoxalmente escandalosa e discreta, para quem fala a versão da língua usada deste lado do Oceano Atlântico. Eu explico; ou melhor, alguém me explica: por que motivo andamos todos a dizer e a escrever, alegremente, mais pequeno, quando nunca ousaríamos usar a expressão “mais grande” e talvez nem mesmo “menos pequeno”?! Como e quando é que o adjectivo pequeno, no grau comparativo de superioridade, passou a escapar à regra?

Uma pergunta que gostaria de fazer, se pudesse, a todos aqueles portugueses que já se permitiram pensar, num assomo de veleidade e arrogância, que no Brasil se fala “mal” a língua portuguesa. É que lá, meus caros, também é errado dizer “mais pequeno” em vez de menor!

32 comentários :

Jaime disse...

Eu explico.
- Dizemos "mais pequeno" porque este é um erro que, como o próprio dizer indica, é mais pequeno.
- Não dizemos "mais grande" porque este erro é maior.
:-)

Mais a sério, nunca tinha reparado que "mais pequeno" é uma excepção. Um matemático diria que há aqui uma "quebra de simetria" entre a regra para "pequeno" e a regra para "grande".

Jaime
www.blog.jaimegaspar.com

Joana (2º ano) disse...

Querida professora, já voltou de férias :D
Acho que há coisas que se dizem, na língua portuguesa porque "dão mais jeito", não que os brasileiros sejam uma excepção mas pronto, eles falam lá à maneira deles.
Ah e esta regra já tinha aprendido n é verdade :p
Beijinho :)

S. Leite disse...

Não voltei propriamente de férias, mas ando por cá...! Obrigada.

Vitor - São Paulo disse...

Só um esclarecimento: aqui no Brasil, segundo algumas gramáticas de autores brasileiros, não é errado usar "mais pequeno". Porém, a forma sintética "menor" é a única forma bem vista pela população, por isso todos achamos que "mais pequeno" está errado.

Agora, cá entre nós, vocês poderiam ter inventado uma língua mais fácil!!! Eu conheço mais a gramática da língua inglesa que o prórpio Português...

droff disse...

Realmente a língua Portuguesa nao prima pela lógica... Daí o English ser tao fácil para nós :)

Diego disse...

mais grande = maior
mais pequeno = menor

menos grande e menos pequeno = menos grande e menos pequeno

Anónimo disse...

eu particularmente, acho grotesco de mais dizer mais pequeno. nunca diria isso. aprendi na escola que se diz menor. bjos.

Anónimo disse...

podemos fazer isso quando comparamos um objeto a ele mesmo

exemplo: esta sala é mais grande (do que?? ) que confortável

S. Leite disse...

sim, esta sala é mais grande do que confortável :)

Anónimo disse...

Sim, justifico claramente

Anónimo disse...

Aprendi na escola que o certo e menor e maior, na verdade até me dói os ouvidos quando ouço mais pequeno ou mais grande. Sou casada com um português tenho tentado mostrar p meu marido o que a gramática diz sobre o assunto. Só existe um caso que se aceita usar mais grande como por exemplo quando se compara um objeto a ele mesmo, como explicado acima.
Lit

Déo Teixeira disse...

Prefiro falar o "brasilerês". Prático, sem tradições linguísticas, dinâmico, adaptativo, absorvente, não aportuguesa palavras estrangeiras (escrevendo e pronunciando quase como o original, e o mais importante: INVENTIVO.
.
Próprio de um povo criativo que absorve palavras do mundo inteiro criando uma nova para o futuro.Nossos dicionários se ampliam dia a dia (prefiro dia-a-dia).


DETALHE FINAL: sou neto de portugueses do Porto e Madeira.

gilmar disse...

lendo Equador, do Miguel sousa Tavares, me deparei com "mais pequeno"...

é comum esse uso em Portugal?

S. Leite disse...

Sim, muito mesmo! O incomum é dizer "menor" como comparativo de pequeno. Mais frequentemente ouço "menor" usado como substantivo, significando "pessoa que ainda não atingiu a maioridade".

Veronica disse...

"Mais pequeno" está correto.

Luiz Cardoso disse...

Pessoas que não conhecem a gramática portuguesa! mais pequeno é um crime á Língua portuguesa!

Anónimo disse...

Tal como seu acento agudo no lugar da crase.

Anónimo disse...

Parabéns anônimo, queime os idiotas

Gustt disse...

Tenha bom senso, Anônimo! O Luiz Cardoso cometeu um erro de digitação e não de língua portuguesa ao usar o acento agudo no lugar da crase. Todavia, particularmente, não concordo com o comentário dele, pois penso que o povo é quem domina a língua e não a língua domina o povo; portanto, se a maioria dos portugueses fala "mais pequeno", então esta forma está correta!

Gustt disse...

Tenha bom senso, Anônimo! O Luiz Cardoso cometeu um erro de digitação e não de língua portuguesa ao usar o acento agudo no lugar da crase. Todavia, particularmente, não concordo com o comentário dele, pois penso que o povo é quem domina a língua e não a língua domina o povo; portanto, se a maioria dos portugueses fala "mais pequeno", então esta forma está correta!

Gustt disse...

Tenha bom senso, Anônimo! O Luiz Cardoso cometeu um erro de digitação e não de língua portuguesa ao usar o acento agudo no lugar da crase. Todavia, particularmente, não concordo com o comentário dele, pois penso que o povo é quem domina a língua e não a língua domina o povo; portanto, se a maioria dos portugueses fala "mais pequeno", então esta forma está correta!

C.A.Coutinho disse...

Caro Gustt,
o problema da tese “a maioria faz a língua” reside na admissão do seu oposto, defendida por sociólogos de esquerda que abundam no meu país, o Brasil, com base nos “direitos da minoria”. Explico: o baixo nível de escolaridade da classe mais pobre, a quem não foi dada a oportunidade da educação, gera o uso de expressões do tipo “os home comeu os peixe”. A tentativa de “politização” da língua levou à quase oficialização dessa maneira de falar, através de uma cartilha patrocinada por nosso Ministério da Educação. Felizmente o amplo nível de rejeição da sociedade fez com que fosse recolhida.

Anónimo disse...

Eu pessoalmente, acho o brasileirês horrível, e também o carioquês, que é pior ainda. Gosto do português correto, se soar mal não falo. Reconheço que preciso aprender muito sobre a língua portuguesa, mas ficar falando de qualquer jeito não, é horrível. Meus pobres ouvidos não aguentam, enfim, vamos nos esforçar pra falar melhor, ouvir melhor e interpretar direito.è isso que penso.

Anónimo disse...

Anónimo, faço aqui uma análise "mais grande": o Brasil é mesmo um continente, não podes dizer que existe apenas um "brasileirês". Ouça as pessoas do Norte e Nordeste do Brasil, que são as mais comuns aqui em Portugal, depois ouça as pessoas do Centro-Oeste como São Paulo e as do Sul então... vais levar um susto! Os erros são outros, os acentos são outros, os substantivos são outros, assim como até a aparência do povo é outra... é impossível comparar um suposto "brasileirês" como uma única variação "além-atlântica" da lingua mãe... mesmo o que às vezes ouves à televisão é apenas o acento da região central... Quanto à lingua mãe: pudemuch lutar pur uma nova rforma i tntar ichcrever assim cumu uch purtuguêzich falam... :-)

Kika disse...

Anónimo, São Paulo fica na região Sudeste.

Unknown disse...

Eu moro aqui no Brasil. Então o correto é falar "menor" ou "maior".
E ponto.

luiz junior junior disse...

Se vocês olharem no dicionário Aurélio, verão que a forma "mais pequena" não é correta, é corretíssima!

Anónimo disse...

"eu, particularmente" / "eu, pessoalmente" / "DÓI os ouvidos" / "brasilerês" /

Eu moro no Brasil, na cidade de São Paulo e nasci no interior do Paraná e aprendi em um livro da 7ª série que "mais pequeno" é correto.

Sou da área jurídica e sei que ainda estou aquém dos padrões cultos da norma.

Algumas coisas me incomodam por aqui: virou um modismo usar a palavra "sempre" em tudo que se escreve em redes sociais; expressões como "a menor / a maior" também. Há um tempo, era muito comum "a nível de".
Também falam "há anos atrás".
E acho que só eu (risos) escrevo a palavra "super" junto.
E mais: "fazem cinco meses"

Célia disse...

Em Portugal, mais pequeno é, de facto, muito mais frequente que menor, embora ambas as formas sejam o comparativo de pequeno. Quanto ao Brasil, o Novo Dicionário Aurélio esclarece que mais pequeno em vez de menor é «corretíssimo» e de largo uso.

Anónimo disse...

O engraçado é que na Espanha "mais grande" ou "mais pequeno" é normal de se falar.

Resumindo, nossa língua portuguesa é tão cheia de frescuras e regrinhas ridículas que um Zé Mané qualquer inventou para nós decorarmos. E antes que eu seja taxado de burro ou ignorante, sou fluente em inglês e cá entre nós, a língua norte americana não tem muita frescura que nem o português (na verdade são pouquíssimas...rsrs).

O pior é aquela análise morfológica que tive que aprender na escola pra passar de ano, nunca vi coisa mais inútil pra se "aprender", em vez de investir mais o tempo dos alunos com aulas de finanças e investimentos que com certeza será útil no futuro onde o cidadão sem conhecimento vai investir seu suado dinheiro na velha e desastrosa poupança...rsrsrsrs...

Estou publicando como anônimo, porque com certeza terá professores de português revoltados, mas eu só quis dizer que o português é uma matéria para ESTUDAR A FUNDO se pretende ser professor de português, apenas isso (pois não vejo outra utilidade).

Minhas sinceras desculpas, mas precisava me desabafar, aliás, se tiver críticas inteligentes, serão bem vindas ;)

Unknown disse...

Vivo em Portugal há 2 anos, procuro fazer com que minhas filhas não aprendam estas barbaridades como " mais pequeno" e coisas do gênero, dizem que ambos falamos português, mas é fato que o português brasileiro e bem mais bonito de se ouvir.

Unknown disse...

Vivo em Portugal há 2 anos, procuro fazer com que minhas filhas não aprendam estas barbaridades como " mais pequeno" e coisas do gênero, dizem que ambos falamos português, mas é fato que o português brasileiro e bem mais bonito de se ouvir.