28 outubro 2016

palavras diferentes em Portugal e no Brasil


Quem não se apercebeu já dos mal-entendidos que se podem gerar entre portugueses e brasileiros por causa das diferenças lexicais?
Quando dois povos culturalmente diversos (ainda que com raízes comuns e muitos aspetos que os identificam, é claro) falam sobre realidades que designam por meio de palavras diferentes, o resultado pode bem ser o desentendimento, se não mesmo a perplexidade.

Para ajudar brasileiros e portugueses a interpretar os enunciados de uns e de outros, nada como um recurso deste tipo:


No Brasil
Em Portugal
açougue
talho
aeromoça
assistente de bordo (ou hospedeira)
bonde
elétrico
Cachorro
cão (cachorro designa um cão jovem)
bala (doce)
rebuçado
band-aid
penso rápido
banheiro
casa de banho
café da manhã
pequeno-almoço
calcinha
cuecas
chope
imperial
camisinha
preservativo
camisola
camisa de noite
canudinho
palhinha
carteira ou carta de motorista
carta de condução
celular
telemóvel
colorir
pintar
conversível
descapotável
durex
fita-cola
geladeira
frigorífico
grampeador
agrafador
histórias em quadrinhos
banda desenhada, BD
locação de filmes
aluguer de filmes
mamadeira
biberão
marrom
castanho
ônibus
autocarro
pista
estrada
planilha eletrônica (no Excel)
folha de cálculo (no Excel)
ponto de tricô
ponto de liga
ponto ou parada de ônibus
paragem do autocarro
suco
sumo
time de futebol
equipa de futebol
toalha de prato, pano de prato
pano da loiça
trem
comboio
usuário
utente, utilizador

Os leitores são convidados a dar os seus contributos para aumentar o número de linhas na tabela.

Nota: Tendo em conta que os comentários dos leitores também acrescentam informação relativamente ao uso das palavras apresentadas, aconselho os interessados a clicarem na ligação para os comentários, pois estes enriquecem o artigo. Obrigada a todos!

16 comentários :

Teresinha disse...

Excelente!
No tricô nós usamos a palavra "ponto de liga" para designar o ponto do avesso; no Brasil, chamam "ponto de tricô".
Este é o meu simples contributo que, de momento, me veio à mente.
Teresinha

Ricardo António Alves disse...

goleiro - guarda-redes
mocinho - herói (nos westerns)
puto - prostituto
rapariga - prostituta

Pedro Henrique Pignataro Delgado M. Barbosa disse...

Gostaria deixar aqui um singelo comentário, a respeito de tais diferenças. Sou brasileiro e realmente concordo com boa parte das diferenças que há entre aí e aqui, entretanto, há alguns equívocos e outras curiosidade. Por exemplo: nós utilizamos, majoritariamente, cachorro, mas também é usada com frequência a palavra cão como sinônimo ou para referir-se ao demônio. A palavra colorir não é tão comum assim, pelo menos cá no nordeste brasileiro preferimos pintar a colorir, já a palavra frigorífico refere-se ao local que vende carnes em grande quantidade. Marrom usamos mas para referir a cor de forma geral e castanho é como se fosse uma tonalidade de marrom, para a cor dos olhos e dos cabelos só utiliza castanho— jamais olhos marrons ou cabelos marrons. Já a palavra sumo é utilizada, mas não como sinônimo de suco, por exemplo sumo de laranja e suco de laranja, o sumo é a polpa, o suco e o líquido espremido e penerado, por vezes adoçado e gelado. Outra curiosidade é que cuecas aqui no Brasil são as roupas íntimas masculinas.

S. Leite disse...

Muito obrigada pelos vossos contributos, especialmente ao Pedro M. Barbosa, por tanta informação interessante sobre as subtilezas associadas ao uso das palavras que incluí no quadro! Por isso mesmo, vou incluir no texto uma referência ao facto de os comentários enriquecerem o seu conteúdo. Cumprimentos a todos.

Pedro Henrique Pignataro Delgado M. Barbosa disse...

Vale ressaltar que a palavra puto no Brasil não significa prostituto, mas rapariga realmente é sinônimo de prostituta. Puto realmente é uma palavra usada, porém na expressão está puto— está zangado, com raiva. Mocinho só é utilizado para referir-se ao bonzinho das telenovelas e romances.

Ricardo António Alves disse...

Quanto ao 'puto', obrigado pela correcção; quanto ao 'mocinho': eu cresci com as revistas da Abril, da EBAL, da Rio Gráfica, e outras e, nessa altura (fins de 60, anos 70), mocinho tinha o significado que referi.

JS Veiga disse...

Agora compreendo porque os meus amigos brasileiros deixam de falar comigo quando os convido para ir comer cachorros.

Anónimo disse...

Chouriço no Brasil diz-se "linguiça". Tanto quanto sei, lá não fazem distinções relativas à grossura do enchido. Só em Portugal é que se distingue entre linguiça, chouriço e chourição.

Paulo Giorgi disse...

Olá! Adorei esse blog!
Eu já escrevi o comentário abaixo, em redação mais agradável. Infelizmente, a minha pouca expertise com comentários pode ter causado a perda deles. Segue a última tentativa:
No Brasil, camiseta é uma peça de roupa que cobre dos ombros à cintura, feita num tecido chamado malha, e preservativo é contraceptivo masculino, também chamado de camisinha. Parece que, no resto do mundo a camisinha dos brasileiros é conhecida por condom. Por gentileza, confirme se em Portugal a nossa camiseta se chama, mesmo, preservativo.
Bicha, no Brasil, é sujeito do sexo masculino que tem aparência e modos afeminados. Em Portugal chama-se de bixa o que aqui no Brasil se conhece por fila.

S. Leite disse...

Olá, Paulo! Sim, preservativo é o nome que se usa em Portugal. E quanto à palavra bicha, eu diria que a maior parte dos portugueses deixou de usar, passando a preferir o termo fila, por influência do português do Brasil.

Anónimo disse...

Desde quando "colorir" não é usado em Portugal?

Há centenas de livros para "colorir" à venda por aí...

Também existem diferenças lexicais a nível regional, não apenas a nível nacional.

Em Portugal, existem dicionários com vocabulário regional. E mesmo os dicionários gerais têm entradas de léxico regional.

É preciso dizer isto, caso contrário pensamos que é tudo igual, quando não é.

Em relação à bicha\fila, lamento mas não é verdade, a palavra "fila" vem do latim e sempre foi usada em Portugal, não é influência do Português do Brasil. Aliás, a "Fila" é um termo militar, a "fila dos soldados", "cerrar as filas". Também o "cão de fila". São expressas muito antigas no Português de Portugal. Por extensão, a fila de qualquer coisa. Já era usada o Brasil não era ainda o Brasil.

A bicha era exactamente o verme, a cobra, a sanguessuga, a lombriga. A mordedura da bicha era sinónimo de peste. Já o Padre António Vieira escrevia assim. Essa ideia dos modos irritados de mulher e fila de pessoas, também deve ser por extensão.

O problema é que é o seu uso em Portugal também já tem os seus anos, citando Eça, no Primo Basílio:

"Tia Joana jurava que era a solitária. Por que, enfim, uma pessoa a quem não faltava nada, com um marido que era um anjo, uma boa casa, todos os cómodos - e a esmorecer, a esmorecer.. Era a bicha! Não podia ser senão a bicha! E todos os dias lembrava a Sebastião que se devia mandar chamar o homem de Vila Nova de Famalicão, que tinha o remédio « para a bicha». O Paula explicava de outro modo - Ali anda coisa de cabeça - dizia, franzindo a testa, com o ar profundo. - Sabe o que ela tem, Srª Helena? É muita dose de novelas naquela cachimónia."

Também Júlio Dinis a usou: "O Sr. Seabra está como uma bicha!"

Portanto a expressão "bicha" por extensão, como mulher irritada, "como uma sanguessuga", também é antiga em Portugal. Também designa popularmente uma divisa na manga de um uniforme, e uma dança em fila, e até um jogo de cartas muito muito antigo, entre outras. Portanto a expressão "bicha" no sentido efeminado ou também no sentido popular de "fila" não tem absolutamente nada a ver com influência brasileira, é usada seguramente há mais de 150 anos em Portugal.

Quando muito podemos dizer que em termos populares, a "bicha" efeminada tornou-se mais comum no Brasil, e a "bicha" enquanto "fila" seja como divisa de uniforme, posição da dança ou da própria imagem da sanguessuga ou outro animal comprido e rastejante (daí em princípio a expressão, "vai para a bicha" significa "vai para o teu alinhamento", o que não tem qualquer conotação sexual) tornou-se mais comum em Portugal.

světluška disse...

Para mim, brasileiro de SP, a pista (a rodovia, a estrada) pode ser composta de uma ou mais faixas (lugares destinos ao trânsito dos carros em determinada direção, separados por pontos ou traços).

Colorir é preencher com lápis de cor um desenho já pronto; pintar é criá-lo do nada.

Julgo haver um erro grave na lista. Não é camiseta que corresponde a preservativo (termo, aliás, também usado no Brasil), mas sim camisinha, mais coloquial do que preservativo. Camiseta é o que os portugueses, muito portuguesmente, chamam T-shirt.

Aluguer é usado em linguagem jurídica no Brasil. O termo do dia a dia é aluguel, que pode ser, por exemplo, de casas ou automóveis. Locação, na minha experiência, é mais comum com vídeos, por exemplo, do que com imóveis, apesar de também ser possível.

Além de toalha de prato, dizemos também pano de prato.

A par de carteira de motorista, em SP também dizemos muito carta (de motorista). Também existe carteira de habilitação ou CNH, sigla inclusive usada na fala, que corresponde a Carteira Nacional de Habilitação.

Além de ponto de ônibus, também se diz parada de ônibus (talvez menos).

S. Leite disse...

Obrigada! Farei as alterações sugeridas agora mesmo!

S. Leite disse...

Mas nunca ouvi ninguém chamar camiseta a uma t-shirt em Portugal!

světluška disse...

Cametas no Brasil: https://www.google.com/search?q=camiseta&newwindow=1&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwihi721pLrRAhWEkiwKHaBBDv8Q_AUICCgB&biw=1593&bih=781

João Paulo disse...

Contaram-me uma história.
Um imigrante brasileiro em Portugal levou o seu filho pequeno ao médico. O médico, português, disse ao guri: - Puto, vira para aqui o cu que eu vou-te dar uma pica!
Por alguma razão, o brasileiro pegou no moleque e fugiu... :-)