11 outubro 2016

Contingentação existe?!

Claro que sim!

Soa mal? Soa. É difícil de pronunciar? Sim? Parece uma palavra inventada à pressa? Parece.
Mas existe. Por duas boas razões.
A primeira, e mais óbvia, é o facto de se tratar de um vocábulo atestado nos dicionários. Se foi consagrado é porque os lexicógrafos entenderam que se justificava. E quem somos nós para dizer que não se justifica?
A segunda boa razão é o facto de a palavra estar bem formada, isto é, apresentar uma estrutura interna que se coaduna com as regras da nossa língua, concretamente as que se referem à inovação lexical por meio da derivação. Explico:
O adjetivo contingente dá origem ao verbo contingentar - tal como o adjetivo (im)paciente permitiu a formação do verbo (im)pacientar, através da adição do sufixo verbal -ar.
Em seguida, o verbo contingentar dá origem ao nome (ou substantivo) contingentação, do mesmo modo que conspirar permitiu formar a conspiração, por meio do sufixo nominal -ção.

Portanto, e da próxima vez que ouvirmos uma palavra que soa mal e pensamos que não pode existir, talvez seja melhor relativizar: pode não existir... mas também pode existir!


3 comentários :

Teresinha disse...

Vivendo e aprendendo... sempre!!!
Este é um blog muito útil.
Obrigada pelos esclarecimentos.

Prof. Ms. João Paulo de Oliveira disse...

Prezadas autoras.
Meu Padrinho Mor Rui Espirito Santo, que reside na "Invicta", enviou-me uma correspondência cibernética com o endereço desta palpitante publicação, que traz à baila as riquíssimas variações linguísticas da nossa amada Língua Portuguesa falada aí no reino distante além-mar e aqui do outro lado do grande oceano e hemisfério que nos separam.
Por coincidência li - recentemente - a última edição do livro "Schifaizfavoire", que saiu do prelo e é da lavra do meu patrício Mário Prata, que morou no reino por um período de dois anos, que discorre - com primor - dos mal entendidos e gafes que ele cometeu durante sua estadia aí, por conta das variações linguísticas.
Considero altamente auspicioso saber da existência deste imperdível blog, que tem no seu bojo discorrer sobre a nossa amada Língua Portuguesa.
Atendendo vossos pedidos acrescento uma palavra que aprendi no blog !"Devaneios a Oriente", da lavra do meu Amigo lusitano, Pedro Coimbra, que reside em Macau:
utente, que precisei procurar no dicionário para saber que aqui dizemos usuário.
Aproveito o ensejo para convidá-las a embarcarem no vagão do Expresso do Oriente sob meu comando:
joaopauloinquiridor.blogspot.com.br
Caloroso abraço. Saudações lusófilas.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

S. Leite disse...

Caros leitores/comentadores, agradeço muito os vossos contributos, que já acrescentei à tabela com as palavras diferentes de Portugal/Brasil. Bem hajam!