31 março 2011

Certo ou errado?


Há dias, na televisão (não interessa o canal), um entrevistado (pouco importa quem) disse uma frase que fixei e que aqui reformulo, com ligeiras alterações, porque me parece boa para um pequeno desafio:

Há uma série de medidas importantes que são precisas tomar o mais depressa possível.

Considerariam certa ou errada esta construção? E porquê?

8 comentários :

Dorushka disse...

Penso que a construção frásica utilizada estará errada, uma vez que mistura plural e singular. Ou seja, a pessoa deveria dizer "há uma série de medidas que é necessário tomar" ou "são necessárias medidas".

Mário Pereira disse...

Eu diria: "Há uma série de medidas importantes que é preciso tomar o mais depressa possível."

O porquê vou ter de deixar para os entendidos :)

R. disse...

são precisas tomar -> é preciso tomar

Pitx disse...

ou seja:

é a série de medidas que é preciso tomar

ou são as medidas que são precisas tomar

ou sou eu que por mais que tente não consigo aprender certas coisas. estará o busílis no «tomar»?

Jonh disse...

"Há uma série de medidas que é necessário tomar", ou então

"Há uma série de medidas que precisão de ser tomadas o mais..."

Motonauta disse...

"Há uma série de medidas que precisão de ser tomadas o mais..."

Quanto muito seria:

"Há uma série de medidas que precisAM (e não precisÃO) de ser tomadas o mais..."

S. Duarte disse...

Do meu ponto de vista, há duas estruturas sintáticas corretas:

(a)Há uma série de medidas importantes que é preciso tomar.
(b)Há uma série de medidas importantes que precisam de ser tomadas.

Rejeito totalmente a estrutura: «Há uma série de medidas importantes que são precisas tomar.»

Vejamos qual a análise sintática da frase:

Sujeito: inexistente
Predicado: há uma série de medidas importantes que é preciso tomar / que precisam de ser tomadas
Complemento direto: uma série de medidas importantes que é preciso tomar / que precisam de ser tomadas

Obrigada a todos pelo vosso contributo!

S. Leite disse...

A expressão "é preciso" fica sempre no singular quando aquilo de que se precisa é expresso por um verbo - neste caso TOMAR.