15 abril 2008

Pró e contra

Cada um tem a sua forma pessoal e subjectiva de entender as coisas e o Acordo Ortográfico é tema para suscitar emoções, pelo que se presta a que todos falem e ninguém tenha inteiramente razão, porque todos a perdem quando invocam argumentos, por assim dizer, "passionais". E ainda bem que não somos máquinas e que não conseguimos perspectivar o Acordo de uma forma estritamente racional!

Mas, mesmo entendendo que ambos os lados estão sujeitos a críticas, que ambas as visões são imperfeitas, para mim, o debate de ontem na RTP1 fez sobressair um lado vencedor: o lado a favor. Parece-me evidente que o Acordo traz mais bem do que mal, que os prejuízos de que falou Graça Moura (já no Parlamento) não comportam propriamente uma catástrofe.

No entanto, e tendo em conta que se falou de informática e do problema das versões portuguesas e brasileiras dos programas, estou de acordo com a ideia (que não sustenta o Acordo) de que a diversidade é tanta, que uma concertação ortográfica está longe, muito longe de a anular. Dou apenas um exemplo que a mim me parece conclusivo: quando uns chamam «planilha electrónica» e os outros «folha de cálculo» à mesma coisa, não há compromisso ortográfico que nos valha!






33 comentários :

Anónimo disse...

Sandra Duarte sinónimo de pirosa... na festa do ISEC...ontem a dita mestre transbordada pirosidade!!! Cure-se minha SRª!!Oh, nao! Melhor! Mestre...

Isabel de Machado e Foiçe

Anónimo disse...

Errata: onde se lê "transbordada" deve-se ler "transbordava"; onde se lê "nao" deve-se ler "não".

Isabel de Machado e Foiçe

Catarina, 3º ano disse...

Professora Sandra, não ligue aos comentários invejosos. quando se começa a incomodar alguem, é muito bom sinal!
Pois é dificil lidar com beleza e inteligência ao mesmo tempo.
Catarina

Anónimo disse...

Tanta correcção e escreve "foice" com cedilha... essa Isabel além de mesquinha ainda é burra!!! Cura-te tu, és sinónimo de "parvosidade", hehe!!
Ass.: Ana

Anónimo disse...

Sandra,

Podes apagar os comentários que não te interessam.
Os blogues fomentam o anonimato e a cobardia, sobretudo quando as pessoas soltam todas as suas frustrações e complexos sem serem identificadas. É o mais fácil. Não te chateies! Sabes o que é que acontece quando nos chateamos com anões? Ficamos com dores de costas!:) Nem ligues!

bj grande e parabéns por tudo
antónio

S. Leite disse...

Querida colega e amiga, subscrevo as palavras do António.
Quanto aos participantes neste blogue, peço-lhes que os comentários, ainda que anónimos, sejam exclusivamente sobre os assuntos aqui tratados.

Anónimo disse...

Queridos,
o meu Foiçe é assim. Enganaram-se no registo civil e agora tenho que assinar assim... sim! As senhoras do registo não andaram no ISEC pois se tivessem andado não escreviam tão mal, pois tinham sido alunas da loura.

Tania disse...

Quero deixar aqui um GRANDE beijinho às melhores professoras que já tive e que não hei-de esquecer com certeza, pela sua sabedoria, simplicidade e Grande Dedicação ;)

Só é pena que haja pessoas invejosas e de má índole que têm atitudes deste tipo. Mas há que ignorar. Importa os que gostam de nós, em relação aos frustrados só nos resta ter pena...

Estiveram muito bem na apresentação do torneio, gostei de vos rever ;)

Força! E mts beijinhos ********* ;)

Diana disse...

Para uma professora que marcou a minha formação, quer académica, quer como pessoa. São poucas as pessoas que são belas por dentro e por fora.
Obrigada por ser a pessoa afável e preocupada com os seus alunos. Um grande beijinho de alguém que a admira.

Diana Casanova

Anónimo disse...

São as 2 umas pessoas extraordinárias, não entendo, nem quero entender os comentários MAUS que fizeram aqui, é uma falta de respeito. Ontem estiveram ambas muito bem e as pessoas que não tiveram a dita "paciência", é porque não querem aprender e querem manter-se na ignorância.
Beijinhos. Carla 3º ano

Ângela disse...

Desde já quero manifestar o meu desagrado pelos supostos anónimos. de facto não sabem o que dizem. Tanto a professora Sandra como a professora Sara são 2 excelentes professoras e excelentes seres humanos. é lamentável ser anónimo..pois só mostra a cobardia e a falsidade em tudo o que diz.
quanto às minhas queridas professoras, estiveram muito bem. Obrigada por tudo a vitoria também é vossa. Não se deixem abater por comentários idiotas e sem qualquer fundo de verdade. Estou bastante indignada com esta barbaridade. Gosto muito das duas. Obrigada por serem as Mestres de muita gente.

Anónimo disse...

Ana, Diana, Ângela, Tânia e afins... deixem de ser hipócritas. Vocês estão aproveitar para dar graxa. Não aproveitem os tais comentários idiotas para darem lustro aos sapatinhos das pirosas.

Maria Santos

Ritas disse...

olha!! Mais uma a juntar-se ao clube das foiçes invejosas!!!!!
Deixa-me adivinhar Maria (será Maria?)... também deves ser daquelas que não lida bem com o sucesso dos outros. Para tua informação já nenhuma de nós é aluna das professoras.

Ao tempo...
De: Ritas

S. Leite disse...

Sejamos nós pirosas ou não (gostos não se discutem!), AGRADECIA QUE AQUI SE DISCUTISSE O CONTEÚDO DO TEXTO A QUE ESTES COMENTÁRIOS DEVERIAM FAZER REFERÊNCIA! Se ninguém tem nada a dizer sobre o acordo ortográfico, pedia que reservassem para conversas orais e frontais essas opiniões sobre a nossa maneira de nos vestirmos, de nos pentearmos ou de estarmos. Obrigada :)

Ana Sofia 3º Ano PEB disse...

Olá professoras...
Desde já, e sendo mais uma a juntar-me ao clube, mostro o meu verdadeiro desagrado perante esta situação. Onde ficam as boas maneiras e a educação destas pessoas? Será que não têm outro sítio para registar as suas frustações? Um diário era bem pensado...
Quanto às professoras, são duas óptimas professoras ambas com tanto para ensinar e que muito me têm ensinado durante este meu percurso no ISEC. Desde já os meus parabéns pelo Torneio e nunca percam esse amor que têm pelos os vossos sonhos!
Quanto a outras vozes...não chegam sequer ao pedestral onde se encontram! Ignorar é o melhor remédio!
Força professoras! Gosto muito de vocês! Beijinhos

Anónimo disse...

gostaria de acrescentar só mais uma coisinha: há pessoas que são tão frustradas com a vida que nem sequer mereciam ter sido alunas de tais professoras. isto realmente, há pessoinhas que têm muita sorte...

Anónimo disse...

Tive a sorte e o privilegio de não ter sido lolololol

Anónimo disse...

Também quem é frequenta o ISEC?

catarina disse...

então o que é o fazias na festa do ISEC?

Catarina

Anónimo disse...

É preciso ser de uma estúpidez bastante considerável e de muito pouca inteligência para não perceber, que de facto,tratar-se-á ,como óbvio, de uma aluna ou ex-aluna das referidas professoras.
Quem é que se iria dar ao trabalho de fazer estes genero de comentários ofensivos....
Naturalmente deve ter chumbado e agora anda por aí a descer a um nível muito brejeiro.
Que este blogue continuo o seu exclente trabalho e ignore comentários deste tipo de pessoas frustradas pouco relevantes para a nossa sociedade.

ps: Já agora, veja se para a próxima escolhe heterónimos mais
convincentes para os seus comentários menina Isabel...Foiçe.

Anónimo disse...

Não acredito que naquela festa tivessem presentes apenas alunos ou ex-alunos do ISEC... A aula magna estava cheia... não era com os pouquissimos alunos do ISEC que aquilo enchia...

Alecrim disse...

Ó Sara, ó minha querida amiga, usa da bendita censura e apaga os comentários desagradáveis e inúteis. E já que é preciso, activa a moderação de comentários.

machadinha disse...

tivessem??

LOL

finalista EI disse...

ó foicinha, se não tens nada a ver com o ISEC, o que estavas lá a fazer na Festa??
Não deves ter nada de interessante que fazer num domingo!! Só pode!

Tania disse...

LOLOL devia "tar" sem nada que fazer... Tá explicado, chumbou ou qualquer coisa do género e agora...pronto, deu-lhe para isto.

...


Caras professoras, tenho uma dúvida, e aproveitando para ver se a "conversa" muda de rumo, é habitual ouvir-se a expressão "esperemos que sim". É correcto? Não é "esperamos que sim"? Obrigada*

ines disse...

Força Professoras...

S. Leite disse...

Olá, Tânia. É correcto dizer "esperemos", como é correcto dizer "esperamos". O que muda é o modo do verbo, ou seja, em "esperemos" o modo é imperativo (como quem diz "vamos esperar") e em "esperamos" o modo é indicativo, exprimindo, portanto, facto ou certeza.

Alecrim, tu e muitas outras pessoas já me fizeram a mesma sugestão, que compreendo perfeitamente. Porém, confesso que a ideia de ter de moderar comentários não me parece muito prática, pois todos eles teriam de passar pela minha "censura" e ficar dependentes da disponibilidade que eu tivesse para os ler, antes de serem publicados. Isso, para mim, significaria ir progressivamente condenando o blogue ao silêncio, porque tenho pouco tempo disponível - que é o contrário do que pretendo. Por outro lado, os comentários despropositados e mesquinhos que aqui vão surgindo não me incomodam ao ponto de os querer apagar. No meu entender, apenas descredibilizam as pessoas (anónimas, é evidente) que os escrevem.

Anónimo disse...

bem dito Miss Sara.

Maria Feitas disse...

Olá

Eu deixei um comentário, uns Posts acima acerca do Acordo Ortográfico. Fui descendo e li este Post, vi 28 mensagens e pensei... vou ler, a opinião dos outros é sempre benéfica, e até pode ser que mude de ideias.
Ora... o que consegui retirar destes comentários é que S. Duarte tem pessoas que gostam muito de si e outras que não gostam. Grande novidade, somos todos assim e ninguém agrada a gregos e a troianos.

Mas não perco, no entanto, a minha vontade de comentar (o 1º comentário) o acordo ortográfico.


Compreendo que por razões de reconhecimento mundial da língua portuguesa não seja mau haver uma grafia idêntica em todos os países falantes dessa mesma língua, também compreendo que essa aproximação seja feita mais ao "brasileiro", pois é o português mais internacional. Já não compreendo que usem palavras de países onde pouco se fala o português, embora este seja uma língua oficial.
No entanto, e não obstante isto tudo, indigna-me ter de começar a escrever de outra maneira por ser mais conveniente politicamente.
Os americanos e australianos e canadianos têm a mesma língua base, mas foram diversificando-se como é natural, por exemplo.

Veem, ou veem, qual a diferença? Com o novo acordo ortográfico, tanto pode ser do verbo ver como do verbo vir. E têm, passa a teem ou tem?
Eu, por exemplo, digo "de faCto" e não "de fato".
A tão facilitadora regra da palavra esdrúxula ser sempre acentuada.
Temos uma língua tão viva, com tantos regionalismos dentro do nosso Portugal pequenino, com tantos neologismos legítimos, como o "pack" que refere mais acima. Porquê pôr outros países ao barulho?

S. Leite disse...

Maria, não vai haver essa confusão entre "deem" e "dêm", pois apenas as palavras com dois "és" perdem o acento circunflexo. Nem "têm" se vai passar a escrever com dois "és"!
Não sendo uma defensora do Acordo, julgo que a razão por que muita gente é contra ele resulta de falta de conhecimento sobre as alterações que de facto implica (desculpe, não é minha intenção criticá-la pessoalmente, mas apenas chamar a atenção dos leitores em geral para o que realmente está em causa). E se os portugueses pronunciam o "cê" de "facto", não é o Acordo que os vai obrigar a renunciar a ele na escrita, pois só se eliminarão as consoantes mudas.

haryhanne disse...

Olá Sandra Leite, estive a ler o seu blog, e depois a ler todos os comentários, onde no ultimo li algo acerca da supressão de consoantes mudas, no novo acordo ortográfico, seria possível eu ter acesso a esse documento? eu vivo fora de Portugal,desde já lhe vou dizendo que cresci a ouvir e a falar uma língua diferente da nossa, pois fui criada em África "África do Sul" o português que conheço é o que aprendi a falar nas ruas de Lisboa quando aos 18 anos retornei a Portugal, aos 29 anos matriculei-me no ensino recorrente para adultos, queria conhecer melhor a língua portuguesa, no meu primeiro exame de língua portuguesa obtive uma pontuação de 17 valores infelizmente não pude continuar a estudar devido a circunstancia de vida profissional e familiar, eu adoro a língua portuguesa com todos os sotaques que ela possa ter, mas dou preferência ao português de Portugal.
para bens pelo seu blog e obrigada por partilhar com o mundo

S. Leite disse...

Haryhanne. Obrigada pelas suas palavras. Pode consultar o texto do Acordo no Portal da Língua Portuguesa, cujo "link" está nos destaques à direita, mas que também lhe deixo aqui:
http://www.portaldalinguaportuguesa.org/index.php?action=acordoleg

Faísca disse...

Sou contra o acordo ortográfico por duas razões: porque é uma decisão política e porque, em muitas situações, ele não irá respeitar a origem das palavras que irão ser alteradas. Digamos que, em vez de ser um Acordo Ortográfico, é um Acordo de Conveniência.

Quanto ao que aqui tem sido dito, só mostra a nossa baixeza, a nossa pouca cultura, a nossa falta de civismo e uma coisa tão portuguesa: a nossa predisposição para sermos controlados e censurados.
Este último aspecto é bem evidente no que se tem passado ao longo destes anos depois do 25 de Abril. Connosco é assim: ou 8 ou 80! Passamos a vida a reclamar contra a censura mas no dia em que supostamente a abolimos, passamos para o extremo oposto e toca de enxovalhar e insultar tudo e todo, normalmente a coberto do anonimato. Quando finalmente reparamos que estamos a ultrapassar os limites do admissível, queremos voltar novamente à censura e até pedimos às detentoras do blogue que apaguem os comentários menos favoráveis ou menos elogiosos.
Afinal em que ficamos?
Não há dúvida de que Guerra Junqueiro é que tinha razão: "Um povo imbecilizado e resignado, humilde e macambúzio, fatalista e sonâmbulo, burro de carga, besta de nora, aguentando pauladas, sacos de vergonhas, feixes de misérias, sem uma rebelião, um mostrar de dentes, a energia dum coice, pois que nem já com as orelhas é capaz de sacudir as moscas..."

Mas já muito antes de Guerra Junqueiro, um general romano relatava ao seu imperador:"Há, na parte mais ocidental da Ibéria, um povo muito estranho: não se governa nem se deixa governar!"

Não conheço as senhoras professoras mas acho que fazem muito bem em publicar tudo o que aqui é escrito, e que cada um aquilate do civismo e da educação de quem aqui comenta.
Acho muito nobre e honesta a vossa atitude de aceitarem, tanto os elogios como as críticas e até as burrices ou os insultos.
Parabéns por este vosso trabalho e pela vossa atitude.